Luna a criadora do mindim

CARTILHA

CARTILHA
solicite, também em Livros de Luna Di Primo clic na imagem

Pensador

Pesquisar este blog

acompanhe por email

GRATIDÃO A TODOS QUE PARTICIPAM DA MINHA VIDA

Aqui, duas vidas se misturam e se separam ao mesmo tempo: nasci uma pessoa, apenas, e assim segui até que a escritora poetisa apareceu e se assumiu, sentou e assentou-se, tomou o seu lugar. Daí para hoje tantas águas nos banharam. Águas frescas, quentes, mornas ou pelando corpo e alma; águas frias, gélidas a nos levar à hipotermia. E assim caminhamos por estradas tantas e de tantos pisos como terra batida, terra fofa, cascalhos, pedras, piche, lama e tantos outros trechos. Quero deixar aqui minha sempre gratidão a todos que participam dessa história com visitas de tantos países, de tantos lugares, aos meus blogues. Obrigada pelas estimadas presenças. Prosperidade, amor, paz e alegria a todos, é meu desejo!

ENTREVISTA



Um presente esta entrevista que Cristiano Marcell realizou com sua reconhecida competência...
  




DOMINGO, 3 DE JUNHO DE 2012



Haicais Primorosos











Luna Di Primo

Se por um lado Dorian depositava de algum modo toda sua maldade no quadro que guardava, Luna Di Primo, amante do romance emblemático de Oscar Wild, deposita toda beleza de sua poesia em belíssimos haicais no seu espaço Pérolas Japonesas no Brasil.

Impetuoso
Desejo do coração
Amor ou paixão?
(Luna Di Primo)


Luna, que mora em Minas Gerais, é poetisa inata e profunda apreciadora e admiradora da natureza. Muitos de seus poemetos abordam esse tema. Em seu weblog, repleto de árvores ao fundo, insinuando uma alegria contagiante, publica com qualidade haiku em formato de vídeos que facilmente nos encantam.

Uma pérola
Eu lhe dou de coração
Puro encanto

Trás paz e harmonia
E enfeita a vida.
(Luna Di Primo)

Luna comenta ser alguém que não possui preferências por esse ou aquele autor, entretanto, lê tudo o que encontra pela frente, chegando a se classificar como não seletiva. Não faz questão de guardar livros, acreditando que sempre há o que aprender e apreciar em uma leitura. “Nunca me esqueci de Elogio da Loucura, O retrato de Dorian Gray e O Cortiço. Essas leituras fiz na adolescência. Tenho, hoje, Parnaso de Além-Túmulo, que reúne importantes poetas, Camões, Ferreira Gullart os livros de Ineifran Varão que considero um grande poeta da atualidade, aglomeram seus poemas bom humor, beleza, estética, sensibilidade... Não há estilo que ele não se dê bem na escrita, até brincando é um profissional, um poeta de verdade. E estou relendo Carl Grimberg.”diz.

Ela conversa comigo nesse HD.

Haicais de Domingo: Geralmente eu pergunto primeiramente como o Haicai apareceu na sua vida literária. Façamos o contrário: você se vê, hoje, sem os haicais na sua elaboração de poemas?
Luna Di Primo: Não. É um dos poemas que mais escrevo, tenho muitos. Aliás, ele me surge instantaneamente, como a brincar, pouco exige na correção e é lindo. Não! Não só não me vejo sem essa pérola, que construí uma casa, exclusivamente, para exibi-la, assim como, falar de sua origem. Não tenho muito tempo para cuidar dessa casa, mas procuro mantê-la arrumada, organizada e atraente para apreciadores dessa joia.


Cubro teu corpo
Te levo às alturas
Uivos de lobo


Haicais de Domingo: Sempre há uma discussão, ao meu ver sem sentido, porém, presente nas colocações de quem vive a poesia, sobre a rigorosidade da métrica. O haiku com seus "cinco/sete/cinco" é um exemplo típico. Em sua opinião, isso prejudica a essência do poemeto?
Luna Di Primo: De forma alguma, aí está sua existência e a beleza que o faz, portanto sua essência vem da sua formação.


Haicais de Domingo: Seus haicais lembram-me muito os escritos por Guilherme de Almeida. Não pela métrica, que no caso dele era bem diferente da construída tradicionalmente, mas pelas imagens proporcionadas. Em qual escritor você se espelhou?
Luna Di Primo: Nunca me espelhei em nenhum escritor, até porque raramente me lembro de onde li o que. Fico, apenas, com a essência do que leio. Como você fez, já citaram outras parecenças poéticas nas minhas construções, porém, não tenho uma preferência em questão de autores. E Guilherme de Almeida, não li quase nada dele, embora devesse, por ser brasileiro, literato e muito inteligente nas suas criações. Em questão de poemas me dedico a estudar e construir o original. (pelo seu comparar atiçou minha curiosidade, vou observar melhor os haicais Guilherme de Almeida, embora não concorde que tenha modificado um poema e deixado com nome original - para mim criou e deveria ter denominação diferenciada - pois a única relação que ficou do foi por ser terceto).


Uma por uma
Caem as podres uvas
A natureza

Ao entrar em ação não
Deixa uma na penca


Haicais de Domingo: Para você, a criação de versos é algo doloroso ao qual impõe uma disciplina cotidiana ou ela flui de repente em momentos incomuns?
Luna Di Primo: A criação é contínua na minha vida, não são apenas momentos e isso me encanta, nós vivemos juntas, não há descanso, férias ou crise, como dizem por aí.


Haicais de Domingo: Há pouco conversava com um amigo e falávamos de uma declaração de Saramago sobre a maior incidência de poemas curtos tais como o Haicais, limericks, etc, por conta do minimalismo de escrita das redes sociais. Você concorda com esse ponto de vista?

Nos flocos brancos
Mais um filme do tempo
Vida que se vai
(Luna Di Primo)

Luna Di Primo: Não. Embora há quem justifique que tudo na internet seja fugaz e tudo deve ser breve, isso vale somente para algumas situações. E poesia existe e se faz valer pelo gosto. Se observarmos tem mais textos longos que curtos, em se tratando de poesia. O minimalismo surgiu por invenção e criação e nao por necessidade. Se olharmos nas páginas de poesias, veremos mais poemas ou escritos longos que curtos. É claro que hoje ocorre essa incidência, mas, porque a poesia conquistou e ganhou espaço na rede e quem aprecia esse estilo de poesia também, mais exibida, mais entendida, mais querida, apenas uma consequência da evolução material.
A poetisa não se limita aos haiku sendo estudiosa e admiradora de outros poemas japoneses, porém, ressalta e reclama por ainda não encontrar tempo de se concentrar adequadamente e estudá-los. Tem se aventurado em rengas ultimamente.
Na verdade eu aprecio todo tipo de poesia.”

Cristiano Marcell é professor nas horas vagas e escreve regularmante
nos blogs Esquife de memórias e Haicai e não Machuca

 http://poetasdemarte.blogspot.com.br/2012/06/haicais-primorosos.html?showComment=1338710929101#c6893441869146272655






8 comentários:

  1. Boa Tarde Luna,passando para desejar uma ótima semana para você...bjs

    ResponderExcluir
  2. Fui, li e gostei de suas convicções e visão de nossa literatura.
    Ficou otima a entrevista.
    Um abraço mineiro de muita paz e luz.
    Bela semana amiga.
    Bjo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada, poeta grnade abraço bjuuu

      Excluir
    2. ah poeta vem participar do nosso livro impresso ENCONTRO DE FERAS I toisperano lunadiprimo@gmail.com

      Excluir
  3. Maravilhosa entrevista, Luna, na qual você corrobora todo o seu talento poético com desenvoltura e preciosidade literária invulgar. Meus sinceros parabéns, inclusive pela exuberância do seu blog. Um terno abraço com a admiração de sempre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. brigadim meu amigo poeta, esse carinho e incentivo que me faz melhorar dia a dia... poeta vem participar do livro que estamos organizando ENCONTRO DE FERAS I to esperando lunadiprimo@gmail.com bjuuu

      Excluir
  4. Oi, amor, fico feliz em poder dizer que você nos causa a sensação de havermos descoberto uma jóia rara em extinção. Mas há uma diferença: Você é a jóia que já nasceu limpa, lapidada, polida e brilhante, como a luz da Lua cheia. Sua modéstia aliada à sua sabedoria na arte poética a faz tão natural e sincera que, após ler sua belíssima entrevista, bem conduzida pelo poeta Cristiano Marcell, percebi que você nem citou sua mais recente criação. Decidi, pois, ir lá para dizer o quanto a admiro, parabenizar aos dois e, ao mesmo tempo, lembrar que Luna Di Primo criou, em 2011, um estilo que arrebata pela beleza delicada e sutil de sua concisão: o MINDIM. Não poderia ter outro nome, vindo de uma excelência em poética nascida nas Minas Gerais. Parabéns, meu amor. O orgulho é uma vaidade... Mas orgulho-me de você, minha pãuazinha de quejjj. Bjsdeteamo

    ResponderExcluir

ACADÊMICA

ACADÊMICA

ACADEMIA

ACADEMIA

Prêmio

Prêmio

Prêmio

Prêmio

PREMIO

PREMIO

Graça

Graça

super

super

premio

premio

opb

opb

clique na imagem para ver

Agua límpida @ Fonte abençoada @ Luz e Paz eu bebo


POSSO NÃO SER GRANDE MAS ESTOU ENTRE ELES

POSSO NÃO SER GRANDE MAS ESTOU ENTRE ELES.