Luna a criadora do mindim

CARTILHA

CARTILHA
solicite, também em Livros de Luna Di Primo clic na imagem

Luna Di Primo Criadora do MINDIMg+

Pensador

Pesquisar este blog

acompanhe por email

CARTA PARA ALGUÉM QUE SEMPRE RECLAMA MINHA ATENÇÃO

aiaiaiai, ô minha querida, perdão. Queria lhe dizer tanta coisa, que daria um livro. Mas, não tenho tanto tempo, assim. Veja que cheguei de viagem nesse momento, só tomei um banho e vim verificar minhas coisas. Preocupa-me, o fato de você acompanhar meu trabalho 24 horas e deixar de lado suas outras tarefas, como dona de casa e professora de inglês 'in house' além de mulher de advogado bem-sucedido por nunca ter perdido uma causa, que chega em casa depois de um dia cansativo de luta e não encontra sua mulherzinha cheirosinha e dedicada para lhe tirar os sapatos para um banho quentinho que, já, o espera na banheira com sais perfumados e aconchegantes. Não, minha querida, não necessita toda essa dedicação a mim. Cuide de você primeiro; cuide dos seus afazeres que são muitos e se sobrar algum tempinho, aí, sim, eu aceito de bom grado que você me acompanhe. Perdoe querida, digo isso porque conheço mulheres com a mesma vida que você leva de labutar na casa, cuidar da roupa, do jardim, das criações(bichos) inda, e principalmente, cuidar do maridão, ou seja, de tudo. Sei que não é fácil. Já vi outras que até perderam o marido por conta de cuidar de outros e deixar a desejar nas suas obrigações. Uns saíram de casa, outros continuaram em casa por conta da família, dos filhos, mas, todos tinham amantes e uns arrumaram até filhos com as amantes, com certeza, escaparam, na falta de cuidados contraceptivos. Não quero de forma alguma esse tipo de situação pra você. Afinal, nessa idade em que se encontra é mais difícil encontrar pessoa disposta a assumir compromisso sério como casamento, além do que, homens, na sua maioria, preferem as mocinhas. Por isso, querida, cuide do que é de sua responsabilidade, não precisa se dedicar tanto a mim. Eu prometo e juro de "pé junto" que, se precisar de você, eu lhe chamo. Quanto ao seu alerta, realmente, o que você viu é um convite, porque será que eles puseram só em uns e não em todos, como nos seus, por exemplo? Veja a diferença dos selos, o que você está vendo já é o final do processo. Entende? Percebe o que digo? Você tem muitas obrigações e ainda, quer cuidar das minhas coisas e isto não é justo com você, por isso essa trapalhada - você ‘acha’ e já sai fazendo coisas que a constrangem. O estresse por excesso de afazeres pode enlouquecer. Falo sério, querida. Lembra que você até já brigou comigo por conta do seu estresse? Esparramou e esparrama que fiz coisas a você que nunca fiz. Felizmente, não tive nenhuma perda por isso. Entendo, que são fases suas, mas, ainda insiste em ajudar-me. Repito: isso é injusto. Onde fica seu bem estar, sua saúde, seu casamento, sua casa, seus cachorros, seu jardim, onde fica, isso tudo? Você é humana, querida, não pode se acabar assim. Olha, não se estresse, ainda mais, pelo que digo, apenas, quero que se conserve bem nessa sua juventude. Como alerta-me, alerto você, também, afinal, com saúde não se brinca. Olhe, não quero pensar que esse alerta é mais uma de suas crises de ciúmes, por não ter desse selo nas suas publicações, nós já falamos sobre isso. Nem tudo pode ser para nós duas, assim como já falamos que, eu não tenho culpa se o que escrevo é aplaudido. Nós já falamos sobre isso. Espero que a crise não seja por conta disso, de novo, como sempre acontece.  Ah, ia me esquecendo, pare de insistir para eu voltar para o inglês, pois se abandonei esse curso, por 3 vezes, é porque não me atrai, não me apetece: primeiro, não serei ‘fessora’ ‘in house’ como você e se quiser saber de inglês, além do que aprendi, arrumo logo um tradutor, vocês existem para isso: prestar serviços; é só pagar e pronto. E para falar com você eu uso o google, mesmo, pois você é tão boa nisso, que o que não entende, deduz, advinha, inventa. Ou aprende a língua ou paga para quem aprendeu. No meu caso fico com a segunda opção. Outra coisa, lindinha da minha vida, não saia por aí reclamando, dizendo que faço maldade com você, pois sabe muito bem que isso não acontece. Eu só falo do seu excesso de cuidados e preocupação comigo, com as minhas coisas, mas o faço pelo seu bem, jamais para lhe magoar, sabe disso, não seja mazinha comigo, isso de dizer que faço coisa que não faço, sim, é uma grande maldade sua. Você vive a dizer que não gosta de mentiras e nem de mentiroso, mas é só o que tem feito, ultimamente, escrevendo para outras pessoas, dizendo coisas que inventa sobre mim para que ninguém fale comigo e deixe de gostar de mim. Isso, além de mentira, ainda é uma grande injustiça. Parece uma grande inveja que carrega consigo. Mas, isso não me importa, já que é coisa sua. Bom, acredito que já chega, não é? Acabei por escrever-lhe uma carta, não era minha intenção; pensei em ficar quieta, como sempre faço, diante de seus ‘enxaques’ ou seria enchaques? Apenas, ouvi essa palavra, não conheço sua grafia; mas se não conheço, você também não, com certeza, então, ficam elas por elas, pois o sentido é conhecido. Ah, sim, me lembrei, é ‘achaques’. Sempre que tem seus achaques você me ‘achacovalha’. Risos. Mas, não tem importância, culpa minha, que nunca lhe dou a atenção que me pede, pois estou sempre ocupada, embora não seja proposital, pois tenho muito a fazer. Mas, agora estou, aqui, falando com você e lhe desejo melhoras, torcendo para que se livre logo desta triste crise. Beijo, querida, que Deus lhe abençoe com a paz que você necessita. Viu? Dediquei-lhe um pedação do meu tempo, agora, fique calminha, tá? 









Arquivo do blog

Agua límpida @ Fonte abençoada @ Luz e Paz eu bebo


clique na imagem para ver

POSSO NÃO SER GRANDE MAS ESTOU ENTRE ELES

POSSO NÃO SER GRANDE MAS ESTOU ENTRE ELES.