Luna a criadora do mindim

CARTILHA

CARTILHA
solicite, também em Livros de Luna Di Primo clic na imagem

Luna Di Primo Criadora do MINDIMg+

Pensador

Pesquisar este blog

acompanhe por email

Quem sou eu

Minha foto

Escritora e Poetisa amante da natureza

DIPRIMO COM MOTE


1 -
DIPRIMO é um poema metrificado e rimado, nos moldes dos poemas clássicos.

- REFERÊNCIAS
Estrofe – nona (nona por ter 9 versos)
Métrica – 2 - 5 - 9 (marca a sílaba mais forte na 2ª, 5ª e 9ª posição)
Rimas – ABCCCBAAB


ESSA TAL FELICIDADE

Tamanha essa tal felicidade,
Que sempre a vir com mais lindo amor,
Faz-se claridade que ilumina...
Encanta sublime alma Divina,
Que em banho de luz torna menina,
De novo a enfeitar um campo em flor.
Suave perfume a espalhar,
Impregna das nuvens ao olhar,
E o mundo se torna multicor.

2 -
Diprimo com mote:
as regras são as mesmas do poema e o mote deve estar sempre nos dois primeiros versos em todas as estrofes.


EXEMPLO COM DUAS ESTROFES

Mote:
São flores colhidas no jardim
Os frutos da própria imensidão


DIPRIMO

COLHEITA

São flores colhidas no jardim,
Os frutos da própria imensidão.

Retorno de ação de uma pessoa,
Ou do coletivo que faz loa,
Ao mundo da chuva à garoa.
D'olhar ao sorriso é vastidão.
De tudo a colheita chega, sim.
Pra todos: você, outro e pra mim.
E tudo vem livre de isenção.

São flores colhidas no jardim,
Os frutos da própria imensidão.

Pra ter o amor é só plantar.
Pegar a semente e semear;
A terra boa e ruim fertilizar.
Assim, corações na escuridão,
A ter aconchego, quando, enfim,
Colheita sadia a ter por fim;
Enquanto do bem a floração.
-----------------------------------------------------------------------------------

NOVA CRIA: DIPRIMO



Como sou apaixonada pelas oitavas de Camões, cordel e trovas, criei a nona DIPRIMO, um poema metrificado.
Seguem abaixo as referências.

CLASSIFICAÇÃO
Estilo - clássico
Estrofe – nona
Versos – isométricos
Métrica – 2 - 5 - 9
Rimas – ABCCCBAAB

Viver no seu tempo e no porvir.
Contemplo esses mundos bem selados.
Vem dantes tecer de um compromisso,
Pois, seu cumprimento foi promisso,
Em frente universo nada omisso.
A vida de seres quase alados,
De sonoro amor seu exprimir,
Ao mundo o plantar desse sentir.
Assim, plenamente contemplados.


obrigada por experimentar poeta Ineifran Varão (amor lindo)

(1)
CANDEIA

Meus olhos te seguem com saudade,
No claro da lua que passeia...
Daqui ouço a voz que longe canta
Canção que me invade e me levanta...
É a voz que me guia e que me encanta!
O amor que nos une e tece a teia,
Em nós, é mais forte que a procela!
Meus olhos te seguem da janela,
Enquanto, de amor, arde a candeia!


(2)
GRATIDÃO (nonadiprimo)

Vencer as ladeiras do destino,
Saber o porquê de uma razão...
São tantos motivos e atropelos,
Que, em meio a cuidados e desvelos,
Ceder é possível aos apelos,
Incauto que se é numa emoção!
A vida bem molda ao dar o tino...
Pois torna, mais claro e cristalino,
O nobre sentir da gratidão!...


(3)
VENTANIA (nonadiprimo)
A aurora raiava no horizonte
Trazendo a certeza de outro dia...
As aves e os bichos da campina
Saudavam a hora matutina
Ao leve soprar vindo da mina...
Assim era sempre o que se via!
...Da vasta planura até o monte,
Restaram destroços qual desmonte,
Depois da terrível ventania!


Obrigada grande HLuna

Andei muito tempo sem destino
buscando, o quê, digo não sei.
Difícil achar o rumo certo
no mundo, enorme este deserto,
preciso ter olhos, ser esperto,
ninguém vem dizer que não tentei.
Sou inda criança, um menino,
não sabe de si, sou pequenino.
Crescer vou, então, eu te direi.



Não existe limite  para sequência de estrofes da nona como fez Ineifran

OS POETAS SÃO ASSIM (poema nonadiprimo)

Andar de andarilho nos confins,
Voar sem o medo de cair,
Palavras saídas livres, soltas,
Por entre as marés – as mais revoltas,
Na roda gigante em muitas voltas...
Direitos, deveres a cumprir!
Afoga-se o mundo em botequins,
Em versos que nascem dos jardins,
Nas mãos dos poetas a sorrir!

Silentes se vão – sem folhetins,
Nas botas inchadas sem porvir...
Renegam do mundo a vil censura,
Os ditos, ditames, ditadura,
Na cética vida sem tristura...
Os poetas encantam co’o sentir...
Iguais a pierrôs ou arlequins
Despedem-se e vão, como jasmins,
Em busca das rosas do existir!


     Quando é Luna Di Primo a gente sempre aprova!
 







Arquivo do blog

Agua límpida @ Fonte abençoada @ Luz e Paz eu bebo


clique na imagem para ver

POSSO NÃO SER GRANDE MAS ESTOU ENTRE ELES

POSSO NÃO SER GRANDE MAS ESTOU ENTRE ELES.